Release @Punchcom Lançamento A História do Século 20 para quem tem pressa @EdValentina

    OS 100 ANOS QUE AINDA NÃO TERMINARAM

 Historia_doMundo.indd

Com mais de 350 mil exemplares vendidos, a Coleção Para quem tem pressa chega ao quinto título: A história do século 20 para quem tem pressa. Escrita pelas mesmas autoras de A história da ciência para quem tem pressa – as também editoras especializadas em obras científicas, Nicola Chalton e Meredith MacArdle –, a obra esclarece e ilumina em 200 páginas os principais acontecimentos do período, de maneira cronológica e acessível para leigos e consistente para pesquisadores.

 

As duas Guerras Mundiais, os surgimentos da TV, da computação e da internet, que revolucionaram a comunicação em massa, mudanças sociais, como a ampliação dos direitos civis e femininos, os avanços da Medicina, produção de carros e aviões são alguns dos feitos e acontecimentos destacados no livro, que marcaram profundamente a História da Humanidade e repercutem em nosso presente.

Também fazem parte da Coleção Para quem tem pressa os títulos A história do Brasil para quem tem pressa, A história do mundo para quem tem pressa e A história da mitologia para quem tem pressa.

Alguns fatos marcantes presentes no livro:

* Em 1901, a sociedade ocidental ainda era sacudida pelas mudanças sem precedentes do século anterior. Economias agrícolas haviam sido transformadas pela Revolução Industrial: motores a vapor substituíram a energia hidráulica e a de tração animal, sendo agora utilizados em navios, trens e nos primeiros veículos movidos a motores de combustão interna, que os automóveis introduziram por volta do ano 1890. Máquinas de fiar e tecer transformaram a indústria têxtil. Estradas foram aprimoradas, ferrovias e canais, construídos. A invenção do telefone e do telégrafo transformou as comunicações.

 * O período de otimismo, inovação, prosperidade e estabilidade da Europa entre as décadas de 1870 e 1914 ficou conhecido como Belle Époque. Nesses anos dourados, os ricos dispunham cada vez mais de tempo livre, e Paris se tornou um polo de atração para artistas e escritores. O realismo literário, que encontrou expressão em autores como Émile Zola, foi um dos precursores do modernismo.

 * As desigualdades sociais, somadas às empresas privadas e ao capitalismo de livre-mercado, acabaram provocando o surgimento de outro movimento, o socialismo. Enquanto os movimentos trabalhistas pretendiam melhorar as condições de trabalho dentro do sistema capitalista, os socialistas pretendiam substituir o capitalismo por um novo sistema em que os trabalhadores compartilhariam a posse e o controle dos meios de produção. Aliados aos sindicatos, os socialistas europeus lideraram um movimento trabalhista internacional inspirado no slogan cunhado por um economista e revolucionário alemão chamado Karl Marx: “Trabalhadores de todos os países, uni-vos.”

 * Um novo movimento, o modernismo, abandonou o romantismo antitecnológico do século 19 para adotar novos métodos e valores burgueses. O artista modernista era um revolucionário que se distanciava dos processos artísticos tradicionais, vistos como um estorvo ao progresso. Trabalhando na França, o artista espanhol de vanguarda Pablo Picasso rejeitou a perspectiva tradicional; seus experimentos ensejaram o cubismo, que envolvia a análise e a remontagem de objetos numa forma abstrata, além de outros movimentos artísticos, como o futurismo e o surrealismo. Os pintores expressionistas alemães Paul Klee e Wassily Kandinsky, bem como o escritor tcheco Franz Kafka, reagiram contra os efeitos desumanizadores da industrialização urbana e se afastaram do realismo nas artes.

* A Segunda Guerra Mundial envolveu 61 países e cerca de três quartos da população global. Exigiu a máxima capacidade econômica e industrial assim como os esforços de todos os setores dos principais participantes. A oportuna descoberta dos antibióticos, efetuada pelo bacteriologista escocês Alexander Fleming, em 1928, contribuiu para salvar a vida de muitos soldados feridos e sujeitos a infecções, mas, ainda assim, as baixas foram sem precedentes: cerca de 25 milhões de soldados, marinheiros e aviadores foram mortos; e ainda mais civis — entre 30 e 60 milhões — perderam a vida.

* Apesar da vitória dos Aliados na Europa, o Japão, teimosamente, recusava-se a passar vergonha admitindo a derrota. Frustrados, os Aliados aprovaram a Declaração de Potsdam, que intimava o Japão, de uma vez por todas, a se render ou enfrentar a destruição. Ainda assim, o governo japonês se recusou a aceitar a paz. Portanto, em 6 de agosto, a primeira bomba atômica, chamada de “Menininho” (Little Boy), foi jogada sobre Hiroshima por um bombardeiro americano B-29 apelidado Enola Gay; três dias depois, uma segunda bomba, chamada de “Homem Gordo” (Fat Man), atingiu Nagasaki. Milhares de pessoas foram mortas imediatamente e milhares morreram envenenadas pela radioatividade.

* A verdadeira democracia chegou à África do Sul por meio de medidas surpreendentes adotadas pelo Presidente F. W. de Klerk, em 1990, quando libertou Nelson Mandela e colaborou para o desmantelamento do Apartheid. Em 1964, Mandela e outros militantes haviam sido condenados por crimes contra o governo e sentenciados à prisão perpétua. Durante o julgamento, ante a possibilidade de ser sentenciado à pena de morte, Mandela disse: “Durante toda a minha vida, eu me dediquei à luta do povo africano. Lutei contra a dominação branca e contra a dominação negra. Acalentei o ideal de ver uma sociedade democrática e livre, em que todas as pessoas vivessem em harmonia e com oportunidades iguais. É um ideal que eu espero viver para alcançar. Mas pelo qual, se necessário, estou preparado para morrer”. Digno e elegante, mesmo após 26 anos preso, Mandela presidiu uma transição pacífica para um governo de maioria negra; e, em 1994, com os negros sul-africanos votando pela primeira vez, foi eleito presidente da África do Sul na nova era que se iniciava.

* A tecnologia se tornou uma faceta importante da medicina na segunda metade do século 20, alicerçando-se em inovações anteriores, como as máquinas de diálise, inventadas em 1943, e de eletroencefalografia, que medem a atividade cerebral, usadas pela primeira vez em seres humanos em 1929. O primeiro marca-passo artificial interno foi implantado em 1958; o final da década de 1950 viu também o aparecimento de máquinas de suporte à vida, como os modernos respiradores (ou ventiladores mecânicos), que substituíram os enormes pulmões de aço dos anos 1930. O primeiro transplante de coração foi efetuado em 1967; depois disso, os transplantes de órgãos se tornaram operações rotineiras.

 * Em 1946, o primeiro computador eletrônico pesava 30 toneladas, ocupava uma sala e era alimentado por milhares de válvulas eletrônicas. Poucas décadas mais tarde, seria considerada algo inusitado um indivíduo não possuir um computador pessoal (PC) e um telefone celular (hoje um smartphone).

 A HISTÓRIA DO SÉCULO 20 PARA QUEM TEM PRESSA

1ª ed. – Rio de Janeiro: Valentina, 2017.

200 páginas

14×21 cm

ISBN 978-85-5889-052-6

R$ 34,90

Preço ebook R$ 26,90

e-ISBN 978-85-5889-053-3

Tiragem: 20.000 exemplares

Público: Juvenil/Adulto (12+)

 

SOBRE AS AUTORAS:

Nicola ChAlton escreveu e editou diversos livros, inclusive uma série sobre história da ciência e da filosofia: Philosophers: They Changed the World e Scientists: They Changed the World. Juntamente com o marido, dirige uma pequena editora em North Yorkshire, Inglaterra.

 

Meredith MacArdle é escritora e editora. Mora em Londres. Escreveu as cronografias da série Ponderables. É também autora de The Timeline History of China e The Timeline History of the Middle Ages.

 

SOBRE A EDITORA VALENTINA

Localizada no Rio de Janeiro, a Editora Valentina mantém seu compromisso de publicar literatura de entretenimento e obras de referência aclamadas em prêmios e principais veículos de imprensa internacionais. O perfil editorial é voltado a romances que abordem a juventude contemporânea e ganhem vida fora do livro, além de temas como urban fantasy, distopia, paranormal, femininos, thrillerchick lit, pets, religiosidade, biografia, bem-estar, steampunk.

  Conheça a Editora Valentina também em:

editoravalentina.com.br

facebook.com/EditoraValentina

twitter.com/EdValentina

youtube.com/ValentinaEditora

 

MAIS INFORMAÇÕES:

Renata Frade

renatafrade@punchcomunicacao.com.br

facebook.com/punch.comunicacao

@Punchcom

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s